Tarifas de ônibus, trem e metrô são reajustadas abaixo da inflação


Bilhetes mensal, semanal, diário e madrugador permanecem congelados Passagem do transporte público aumenta, mas o reajuste fica menor que a inflação. Foto: Johnny Cozer Goulart/ Assessoria de Imprensa da SPTrans A Secretaria Municipal de Transportes e a Secretaria Estadual dos transportes Metropolitanos informam que, a partir do dia 9 de janeiro de 2016, passarão a vigorar os novos valores das tarifas de transporte sobre trilhos na região metropolitana de São Paulo e sobre pneus na capital. A inflação acumulada desde o último reajuste, em 6 de janeiro de 2015, foi de 10,49%, segundo o IPC-Fipe. No entanto, as duas secretarias decidiram, em conjunto, fixar reajuste menor que a inflação. O bilhete unitário foi reajustado em 8,57%, passando dos atuais R$ 3,50 para R$ 3,80. A tarifa com integração entre ônibus e trilhos aumentou de R$ 5,45 para R$ 5,92. Além de reajustar a tarifa abaixo da inflação, as duas secretarias decidiram congelar, sem qualquer reajuste, os valores atuais dos bilhetes temporais: Ônibus ou Trilhos 24 horas R$ 10,00 Semanal R$ 38,00 Mensal R$ 140,00 Integrado Ônibus e Trilhos 24 horas R$ 16,00 Semanal R$ 60,00 Mensal R$ 230,00 Trilhos (Metrô e CPTM) Madrugador R$ 2,92 Da Hora R$ 2,92 EMTU Para os ônibus da EMTU, o percentual médio do reajuste irá variar em cada uma das cinco regiões metropolitanas vinculadas à empresa - São Paulo, Campinas, Baixada Santista, Sorocaba e Vale Paraíba, mas nenhum valor será reajustado acima da inflação. Ações dos governos estadual e municipal visaram preservar orçamento familiar As administrações municipal e estadual têm atuado no sentido de alinhar alguns aspectos das respectivas políticas tarifárias, visando a redução do peso do transporte no orçamento das famílias residentes na Região Metropolitana de São Paulo. Dentre as medidas tomadas em conjunto, desde então, cabe destacar: 1 - Foi criado o Bilhete Único de ônibus e trilhos mensal, que permite ao usuário frequente dos sistemas de transporte um desconto em relação à política tradicional do Bilhete Único. Nos dois reajustes desde então, as tarifas dessa modalidade não sofreram qualquer aumento, o que se reflete em um crescimento gradual de sua utilização. 2 - Também não sofrerá qualquer reajuste o usuário dos bilhetes Madrugador, válido no início da operação do Metrô, entre 4h40 e 6h15, e na CPTM, das 4h até as 5h35. Também ficará sem reajuste o bilhete Da Hora, que concede benefício entre as 9h e 10h da manhã nas linhas 5 do Metrô e 9 da CPTM. 3 - A tarifa zero permanece para pessoas com deficiência e idosos (a gratuidade foi ampliada para pessoas com mais de 60 anos em julho de 2012 – Lei 15.187) e alunos de escolas e universidades que comprovarem baixa renda. Além disso, todo estudante, da rede pública ou privada, já tem direito à meia tarifa e continuará com esse benefício. 4 - O trabalhador desempregado, usuário do transporte por ônibus no município, passará a contar com a gratuidade, em moldes similares aos praticados no transporte sobre trilhos. 5 - Mais da metade dos usuários do sistema de transportes (53%) não será impactada pela mudança na tarifa unitária, porque são benificiários de gratuidades, usam bilhetes temporais que não terão aumento ou são trabalhadores que já pagam o limite legal de 6% do salário para o vale transporte. Fonte: http://www.capital.sp.gov.br/portal/noticia/9405

Câmara Municipal de São Paulo
Palácio Anchieta - Viaduto Jacareí, 100

10º Andar - Sala 1018 - CEP 01319-900
Tels.: (11) 3396-4294 / 3981

São Paulo - SP